Das palavras à ação, apenas dúvidas?

O que fizeram 3 milhões de pessoas nas ruas francesas no domingo? Talvez, carioca que convive desde os anos de Brizola com o crime impune, eu tenha me tornado um cético quanto a efetividade de abraços a lagoas, marchas pela paz ou gincanas pela desarmamento… talvez, mas o fato é que as milhões de pessoas… Leia mais Das palavras à ação, apenas dúvidas?

Os ingênuos da esquerda

Que os chargistas assassinados eram – nas palavras de um analista da Folha de São Paulo – de “esquerda, anti-racistas, anti-fascistas, anti-colonialistas, simpatizantes do comunismo ou do anarquismo” é indubitável. E também evidente que, como bons homens do humor, eram em grande medida iconoclastas (singular era o nível de iconoclastia, realmente pouco educada, como poderá… Leia mais Os ingênuos da esquerda

Uma “quase novidade” sobre o massacre

A cobertura da grande mídia seguiu seu rumo natural, como comentado na postagem passada. Algumas poucas leituras foram mais curiosas, e entre elas não me passou despercebida a visão de analistas que diziam ver como maior problema e preocupação do atentado, o “recrudescimento das forças políticas de direita” que um evento desses incita. Frente a… Leia mais Uma “quase novidade” sobre o massacre

As obviedades quanto ao massacre

Como antevisto no dia do massacre, a cobertura do atentado ao Charlie Hebdo seguiu as mesmas óbvias duas linhas abjetas de raciocínio: a diluição da culpa entre todas as religiões e a culpabilização das vítimas, seja por falta de prudência ou mesmo a pertinência do terrorismo como modalidade de “reivindicação”. Muitos comentaristas que considero sérios… Leia mais As obviedades quanto ao massacre

Atentado a Charlie Hebdo e o Brasil

Em algum lugar do passado, os ingênuos mas não burros comediantes do “Porta dos Fundos” (Fabio Porchat, mais precisamente) disseram que falam mal dos católicos porque não querem passar por maus bocados entre os fiéis a “Alá e Maomé”. Hoje sabemos da carnificina na redação do jornal “Charlie Hebdo”, uma espécie de MAD francesa, que… Leia mais Atentado a Charlie Hebdo e o Brasil