O STF e a televisão

Todo analista cultural há de saber, pelo menos desde a década de 60 do século passado, o meio é a mensagem. Quando o Supremo Tribunal Federal brasileiro tomou a decisão de transmitir suas sessões,  justificado pelas leis de transparência, colocou sua estrutura à mercê não dos brasileiros mas da tecnologia. Há um motivo pelo qual… Leia mais O STF e a televisão

O sucesso da música clássica no mundo virtual

Com uma audiência de competições desportivas, o XV Concurso Internacional Tchaikovsky, transmitido pela Medici.Tv, foi um sucesso. Trata-se sem dúvida do mais importante marco do mercado da música clássica na internet este ano e, sem dúvida, um divisor de águas em um mercado que há algumas décadas via com certo ceticismo o impacto midiático das… Leia mais O sucesso da música clássica no mundo virtual

O 15 de março – algumas perplexidades

Falamos de política no Ocidentalismo.com apenas em casos especiais. E como todos leitores sabem, o domingo dia 15 de março de 2015 foi uma data especial. Ademais, minha formação em teoria da comunicação exige sempre comentários pertinentes ao assunto. Então encaremos em quatro etapas, as agruras do dia 15: 1) Algo que impressionou nas manifestações… Leia mais O 15 de março – algumas perplexidades

A morte de Carr e a Morte no Facebook

Sempre é ligeiramente desconcertante conhecer alguém pelo obituário. Há uma máxima (acho que do Paulo Francis) a qual recorro quando quero parecer arrogante entre amigos – apenas entre os muito amigos finjo acreditar no que falo – que é dizer “se eu não conheço, não deve ser bom”. Não sendo um completo desconhecido, de algum… Leia mais A morte de Carr e a Morte no Facebook

Música clássica digital

Importante registrar o evento “Música Clássica e suas platéias na era digital”, anunciado pela excelente Viva Música! e que entre os dias 4 e 6 de fevereiro, reuniu em Paris dezenas de profissionais das áreas de História, Sociologia, Antropologia, Musicologia, Economia, Comunicação e Ciência da Informação. Questões de crowdfunding, as redes sociais, o processo de… Leia mais Música clássica digital

#MuseumSelfieday; ou, o museu como playground

“Museum Selfie Day” é o nome do experimento que as instituições de todo mundo promoveram no dia 21 de janeiro de 2015. A idéia é que os fãs, curadores, gestores divulguem seus selfies nas grandes plataformas e redes sociais – uma espécie de celebração global por Facebook, Twitter e Instagram das grandes coleções do mundo.… Leia mais #MuseumSelfieday; ou, o museu como playground

Ciência como bruxaria

O fascínio pela “ciência” pode causar alguns constrangimentos. Os jornalistas da Veja são especialistas em tais constrangimentos e esta semana duas matérias adoráveis pela ingenuidade nos leva aos limites do bom senso: a primeira quando, nas prestigiadas páginas amarelas, um antropólogo de Stanford sugere que a carga genética interfere massivamente na escolha entre ser de… Leia mais Ciência como bruxaria

Uma “quase novidade” sobre o massacre

A cobertura da grande mídia seguiu seu rumo natural, como comentado na postagem passada. Algumas poucas leituras foram mais curiosas, e entre elas não me passou despercebida a visão de analistas que diziam ver como maior problema e preocupação do atentado, o “recrudescimento das forças políticas de direita” que um evento desses incita. Frente a… Leia mais Uma “quase novidade” sobre o massacre

As obviedades quanto ao massacre

Como antevisto no dia do massacre, a cobertura do atentado ao Charlie Hebdo seguiu as mesmas óbvias duas linhas abjetas de raciocínio: a diluição da culpa entre todas as religiões e a culpabilização das vítimas, seja por falta de prudência ou mesmo a pertinência do terrorismo como modalidade de “reivindicação”. Muitos comentaristas que considero sérios… Leia mais As obviedades quanto ao massacre