Kirill Petrenko e a Filarmônica de Berlim

Fumaça branca na Philarmonie. Habemus maestro. Claro, não poderia passar o dia sem algumas palavras sobre a eleição de Kirill Petrenko para regente titular e diretor da Filarmônica de Berlim a partir da temporada 2018/2019. Antes de tudo, uma questão óbvia: Petrenko, qual cardeal Bergoglio, não estava em qualquer lista de especialistas. Eu tampouco imaginava… Leia mais Kirill Petrenko e a Filarmônica de Berlim

A morte de Carr e a Morte no Facebook

Sempre é ligeiramente desconcertante conhecer alguém pelo obituário. Há uma máxima (acho que do Paulo Francis) a qual recorro quando quero parecer arrogante entre amigos – apenas entre os muito amigos finjo acreditar no que falo – que é dizer “se eu não conheço, não deve ser bom”. Não sendo um completo desconhecido, de algum… Leia mais A morte de Carr e a Morte no Facebook

Dia Internacional da Lembrança do Holocausto

Lembrança e homenagem, em duas citações de Jorge Luís Borges: Mais além das aventuras do sangue, mas além do quase infinito e certamente incalculável azar dos tálamos, toda pessoa ocidental é grega e judia. (…) O orbe ocidental é cristão; o sentido desta afirmação é que somos um ramo do judaísmo, interpretado por seus teólogos… Leia mais Dia Internacional da Lembrança do Holocausto

Os ingênuos da esquerda

Que os chargistas assassinados eram – nas palavras de um analista da Folha de São Paulo – de “esquerda, anti-racistas, anti-fascistas, anti-colonialistas, simpatizantes do comunismo ou do anarquismo” é indubitável. E também evidente que, como bons homens do humor, eram em grande medida iconoclastas (singular era o nível de iconoclastia, realmente pouco educada, como poderá… Leia mais Os ingênuos da esquerda

Uma “quase novidade” sobre o massacre

A cobertura da grande mídia seguiu seu rumo natural, como comentado na postagem passada. Algumas poucas leituras foram mais curiosas, e entre elas não me passou despercebida a visão de analistas que diziam ver como maior problema e preocupação do atentado, o “recrudescimento das forças políticas de direita” que um evento desses incita. Frente a… Leia mais Uma “quase novidade” sobre o massacre

As obviedades quanto ao massacre

Como antevisto no dia do massacre, a cobertura do atentado ao Charlie Hebdo seguiu as mesmas óbvias duas linhas abjetas de raciocínio: a diluição da culpa entre todas as religiões e a culpabilização das vítimas, seja por falta de prudência ou mesmo a pertinência do terrorismo como modalidade de “reivindicação”. Muitos comentaristas que considero sérios… Leia mais As obviedades quanto ao massacre