“Cala a boca, porra!”; ou, o rei Carlos, do Brasil.

Agora foi Roberto Carlos, o outro rei, a exasperar-se e dizer a um interlocutor recalcitrante “¿Por qué no te callas?”. Justo. Afinal, o que se pode fazer senão mandar calar aqueles que não deixam falar aos outros? Lendo sobre o caso, lembrei de um espetáculo no saudoso teatro Cultura Artística, onde o violinista italiano Giuliano… Leia mais “Cala a boca, porra!”; ou, o rei Carlos, do Brasil.