Ocidentalismo

por Leandro Oliveira

O STF e a televisão

Todo analista cultural há de saber, pelo menos desde a década de 60 do século passado, o meio é a mensagem. Quando o Supremo Tribunal Federal brasileiro tomou a decisão de transmitir suas sessões,  justificado pelas leis de transparência, colocou sua estrutura à mercê não dos brasileiros mas da tecnologia.

Há um motivo pelo qual a Corte Suprema norte-americana, à ocasião de sua discussão sobre o assunto, ainda na década de oitenta, decidiu pela privacidade. Rádio e TV não são meios neutros, mas moldam a mensagem ao prever uma psicodinâmica específica – para emissor e audiência.

1070

Para bem e para mal, é neste sentido que o Ministro Luís Roberto Barroso é o mais habilidoso entre os membros do STF: parece tratar-se do único a ter entendido a natureza presente da sessão plenária. Pois se até o advento das transmissões, os votos eram proferidos para discussão do colegiado e registro da magistratura, juristas e historiadores, hoje sua função objetiva é não apenas a discussão interna mas, sobretudo, a educação e mobilização da opinião pública, onde posteridade não se distingue da disponibilização imediata no YouTube e nos canais televisivos e radiofônicos.

Quero dizer que a transmissão das sessões plenárias mudaram o resultado do julgamento dos Ministros? Sim e não. Sim, pois é natural com o tempo que a formalidade da ocasião e do vocabulário  mostre-se eventualmente vazia; sim, na medida em que muito do sensacionalismo exigido pelas trasmissões acaba por estimular um certo tom populista, quase rasteiro em muitos dos magistrados.

Não, pois a tecnologia não precisa ser um elemento determinístico, a tabular as inteligências por meio de si: e quero crer que exatamente seja a consciência das mídias um passo importante a preservar dos magistrados seu discernimento e convicção – as qualidades maduras que, a despeito do meio e sua necessidades precípuas, podem e devem seguir sendo cultivadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Informação

Publicado às 5 de abril de 2018 por em Crítica, cultura e política, Explorações, meio e mensagem e marcado , , , , .

Últimos tweets

  • RT @alejwall: Mbappé nació en Bondy. Kanté nació en París. Pogba nació en Lagny-sur-Marne. Matuidi nació en Toulouse. Todos franceses. Umti…publicado em 2 days ago
  • RT @MonicaWaldvogel: O que nos redime da mediocridade cotidiana: a grande beleza, a arte produzida pelo casamento de Mann, Mahler e Viscont…publicado em 1 week ago

No ocidentalismo não salvamos almas. Alimentamos os peixes para passar as horas…

Agenda de posts

abril 2018
S T Q Q S S D
« mar   jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
%d blogueiros gostam disto: