Foster e Gabrielli, os novos nomes do mundo da arte

“O que há num nome?”, perguntava o bardo; “nome é destino”, assevera o dito romano.

Precisamos batizar com muito cuidado nossos protagonistas. Se falamos de tramas criminais, Thomas Crown é brilhante; Danny Ocean, é talvez apenas cafageste.

No futuro, uma ficção sobre o Petrolão que lidasse com o grand monde das artes, muito mais que Duque, esse nome de contínuo, deveria ter por protagonistas – ah, como não pensei nisso antes! – “Mrs. Foster” e “Gabrielli, il Dottore”.

Não entendeu? Então, clique aqui.

por Leandro Oliveira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s