Ocidentalismo

por Leandro Oliveira

“Litanei” de Stefan George (1868 – 1933)

Os amigos que acompanham o Ocidentalismo.com puderam perceber um certo atraso na publicação das postagens da semana passada (devidamente atualizados durante o Carnaval). O motivo de força maior foi a apresentação de uma obra inédita de minha própria lavra no simpático São Carlos Clube na cidade de São Carlos, no último dia 12. Aproveito o fim do recesso de Carnaval para fazer desta postagem um misto de mea culpa com auto-promoção…

“Litanei” é uma obra para trio de cordas (dois violinos e viola) e soprano; seu texto é o mesmo presente no segundo quarteto de cordas de Arnold Schoenberg (1874 – 1951), um poema do alemão Stefan George (1868 – 1933). O Schoenberg, divino!, pode ser ouvido no link abaixo e, para os interessados, será apresentado em meados de setembro na temporada da Osesp:

De qualquer modo, o texto é comum ao quarteto de Schoenberg e o neonato Trio com Soprano; sua íntegra e uma tradução seguem abaixo:

Tief ist die trauer die mich umdüstert,
Ein tret ich wieder, Herr! in dein haus.
Lang war die reise, matt sind die glieder,
Leer sind die schreine, voll nur die qual.

Durstende zunge darbt nach dem weine.
Hart war gestritten, starr ist mein arm.
Gönne die ruhe schwankenden schritten,
Hungrigem gaume bröckle dein brot!

Schwach ist mein atem rufend dem traume,
Hohl sind die hände, fiebernd der mund.
Leih deine kühle, lösche der brände.
Tilge das hoffen, sende das licht!

Gluten im herzen lodern noch offen,
Innerst im grunde wacht noch ein schrei.
Töte das sehnen, schliesse die wunde!
Nimm mir die liebe, gib mir dein glück!

***

Profundo é o luto que me ensombra,
De novo, Senhor, entro na tua casa.
Longa a jornada, exaustos os membros,
Vazios os templos, cheia só a dor.

A língua sedenta anseia pelo vinho.
Dura foi a luta, hirto ficou o braço.
Concede a paz aos passos cambaleantes,
Desfaz o teu pão ao palato esfomeado!

Fraco é o meu respirar, chamando o sonho,
Ocas estão as mãos, febril a minha boca.
Empresta a tua frescura, extingue os fogos,
Apaga a esperança, propaga a claridade!

A chama no coração ainda arde intensa,
No íntimo profundo ainda mora um grito.
Mata a ânsia, cura a ferida!
Leva-me o amor, dá-me a tua felicidade!

A música apresentada em São Carlos, a minha música, parte de referência bastante diferentes daquelas de Arnold Schoenberg. Infelizmente, a gravação não está ainda disponível.

Entro agora no merecido recesso de Carnaval e retorno com força total segunda-feira dia 23.

por Leandro Oliveira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 18 de fevereiro de 2015 por em EDITORIAL e marcado , .

Últimos tweets

No ocidentalismo não salvamos almas. Alimentamos os peixes para passar as horas…

Agenda de posts

fevereiro 2015
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728  

Siga Leandro Oliveira no Facebook

%d blogueiros gostam disto: